Archive for the ‘ Uncategorized ’ Category

CHUCK RAGAN TOCA AO VIVO NOVO DISCO “COVERING GROUND” NA ÍNTEGRA

Chuck Ragan e seus músicos de apoio Joe Ginsberg e Jon Gaunt participaram de uma sessão para o site Wolfgangs Vault no dia 30 de junho em São Francisco/CA, onde tocaram na íntegra o novo disco intitulado “Covering Ground“, que teve seu lançamento na data de ontem, 13 de setembro. Com o disco já lançado, a sessão foi ao ar e pode ser conferida música a música em stream clicando aqui.

PRÉ-VENDA DO NOVO DISCO DE TOR TAUIL “QUANDO SE PERDE A RAZÃO”

Tor Tauil (Zumbis do Espaço) está de volta com seu mais novo álbum intitulado “Volume 3 – Quando se perde a razão“. Com lançamento previsto para 03 de outubro via  ZonaPunk, 13 Recs, Heartsbleeblue e Balboa, o disco já se encontra em pré-venda através do site Ideal Shop. Com um som bem diferente do Zumbis do Espaço, a carreira solo de Tor Tauil tem grande influência de músicos da raiz sertaneja como Inezita Barroso, Nelson Gonçalves, Liu e Leu, Irmãs Galvão, Tião Carreiro e Pardinho, Milionário e Zé Rico entre outros, aliados a toda sua experiência e vivência músical, dando origem a canções que abordam a vida na estrada, amores perdidos e achados, emoções, bares,  pecado e a busca por redenção.
O CD será lançado em edição digipack de luxo e contará com 10 músicas inéditas + 4 bônus. Também é previsto o lançamento do disco em vinil 12″, ainda sem data de lançamento.

Confiram abaixo o single “Quebre algum coração“, que fará parte do novo disco de inéditas de Tor Tauil:

Para adquirir o álbum  “Volume 3 – Quando se perde a razão” em pré-venda via Ideal Shop clique aqui.

Também está disponível em pré-venda um combo contendo o CD “Volume 3 – Quando se perde a razão” + Camiseta Tor Tauil + Button. Para adquirir este combo, também via Ideal Shop, clique aqui.

Track-list do disco “Volume 3 – Quando se perde a razão
1 – quando se perde a razão
2 – sotaque caipira
3 – quem vai chorar
4 – não deixe a chance passar
5 – castigando um cavalo morto
6 – louco outra vez
7 – barco a deriva
8 – a mordida do diabo
9 – 13 listras
10 – quebre algum coração*bônus ao vivo*
11 – voltando para casa
12 – noite passada
13 – esta noite vou deixar a garrafa me derrubar
14 – um caçador

THE MISFITS LANÇA NOVO ÁLBUM APÓS 8 ANOS

Glenn Danzig ao formar o Misfits em 1977, no alvorecer do movimento punk, criou um legado que realmente resistiu ao teste do tempo. Imortalizando filmes de terror B em preto e branco  em suas músicas e criando um estilo músical até antes nunca feito (Horror Punk) o Misfits manteve seus fãs fiéis até hoje. O logotipo da banda tornou-se referência na cultura pop, e um símbolo instantaneamente reconhecível em todo o mundo.

Após 8 anos sem um disco de inéditas o Misfits está de volta com “Devils Rain“. Produzido por  Ed Stasium (“Road to Ruin” – Ramones) o disco tem previsão de lançamento para 04 de outubro via Misfits Records.

Confiram abaixo o track list do disco e o audio de “Land of the Dead” que estará presente no disco novo da banda:

1. The Devils Rain
2. Vivid Red
3. Land Of The Dead (album version)
4. The Black Hole
5. Twilight of the Dead (album version)
6. Curse of the Mummy s Hand
7. Cold In Hell
8. Unexplained
9. Dark Shadows
10. Father
11. Jack The Ripper
12. Monkey’s Paw
13. Where Do They Go?
14. Sleepwalking
15. Ghost Of Frankenstein
16. Death Ray


“Devils Rain” pode ser adquirido em pré-venda clicando aqui ou aqui.

VERSÕES: THE WHITE STRIPES x DUSTY SPRINGFIELD

I Just Don’t Know What to Do with Myself” ficou mundialmente conhecida ao ser interpretada pelo genioso duo The White Stripes, que além de fazer a melhor versão dessa música (na opinião deste editor) estreou um clip dirigido por Sofia Coppola (“Virgens Suicidas“, “Encontros e Desencontros“, “Maria Antonieta“, “Um Lugar Qualquer“) com a participação da modelo Kate Moss.

A música em questão foi escrita pelo pianista americano, produtor e compositor  Burt Bacharach e pelo cantor lírico Hal David no ano de 1962. A primeiro registro de gravação foi feito por Tommy Hunt em maio de 1962, mas foi em 1964 que a música fez sucesso nas paradas músicais européias na voz de Dusty Springfield. Mary Isabel Catherine Bernadette O’Brien, conhecida musicalmente por Dusty Springfield, firmou sua carreira solo como cantora britânica de pop no ano de 1963, logo após o término da banda The Springfields. Lançou ao longo de sua carreira 14 discos, além de 3 coletâneas.Na década de 1980, gravou um dueto com o duo Pet Shop Boys, “What have I done to deserve this?”. Dusty continuou gravando até o ano de 1995, quando foi diagnosticada com câncer de mama, falecendo em março de 1999.

De 1962 até os dias atuais, “I Just Don’t Know What to Do with Myself” já foi regravada por inúmeros artistas como  Gary Puckett (1970),  Cissy Houston (1968), Isaac Hayes (1970), the Dells (1972), Elvis Costello & The Attractions (1978), Demis Roussos (1978), The Photos (com participação de Wendy Wu) (1980), Linda Ronstadt (1994), the Stylistics (1991), Steve Tyrell (2003),  The White Stripes (2003) e Ronan Keating (2011).

Confiram abaixo a versão pop anos 60 feita por Dusty Springfield e  e a versão rock feita por The White Stripes:

I Just Don’t Know What To do With Myself – Dusty Springfield

I Just Don’t Know What To do With Myself – The White Stripes

VERSÕES: THE BEATLES x RENATO E SEUS BLUE CAPS

Do lado brasileiro, com uma bela versão em português de “All my loving” dos Beatles, temos a banda Renato e seus Blue Caps. Surgida no final da década de 50, é considerada a banda que a mais tempo está na ativa, com uma carreira artística invejavel de meros 51 anos.
  Renato e seus Blue Caps fez parte do movimento Jovem Guarda no Brasil, ao lado de Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa.  A banda era conhecida também por suas versões e covers que faziam dos Beatles, considerada por muitos a melhor banda do mundo e que neste momento dispensa comentários.

Confiram abaixo as versões originais e ao vivo de “All My Loving” interpretadas pelos Beatles e por Paul McCartney em sua visita ao Brasil em 2010, além da versão em português da música em questão, intitulada “Feche os olhos“, por Renato e seus Blue Caps, em sua gravação original e ao vivo:

All my loving – Versão original – The Beatles

All my loving – Versão ao vivo (1964) – The Beatles

All my loving – versão ao vivo (Brasil 2010) – Paul Mccartney

Feche os olhos – Versão original Renato e seus Blue Caps

Feche os Olhos – Versão ao vivo Renato e seus Blue Caps

VERSÕES: NOUVELLE VAGUE x DEAD KENNEDYS

Em uma campanha realizada pela Heineken para promover a cerveja Kronenbourg 1664, foi utilizado uma versão cover lounge da música do clássico hino punk  “Too Drunk to F*ck” do Dead Kennedys, interpretada pela banda Nouvelle Vague, e este assunto chegou até aqui, na coluna Versões do Monophono. Antes de atingir o público desejado com essa publicidade, a propaganda foi tirada do ar. O motivo: A Heineken entendeu que as pessoas poderiam interpretar a letra da música de forma errada, levando-os ao consumo excessivo do álcool. O objetivo da propaganda era ligar a idéia do “consumo relaxado”, ou seja tomar uma cerveja para relaxar, com a idéia da versão cover bem mais lenta que a original.
Quem ficou a cargo dessa versão lounge foi o Nouvelle Vague, banda responsável por inúmeros covers de bandas de punk rock, pós-punk e new wave da década de 80, tudo isso misturado ao estilo bossa nova. Os discos lançados pela banda incluem canções de Joy Division, Dead Kennedys, The Clash e Depeche Mode, entre outras.
Do lado original temos o Dead Kennedy. Liderado pelo controverso Jello Biafra, a banda surgiu no final da década de 80, misturando o punk rock inglês da década de 70 com a energia do hardcore norte-americano. Com letras chocantes, de humor ácido e subversivo, a banda ganhou notoriedade no ano de 1979, quando lançou o single “California Über Alles“, que fazia uma forte crítica ao então governador da Califórnia, Jerry Brown. Após essa música, outros clássicos como “Police Truck“,  “Holiday In Cambodia“, “Viva las Vegas” e “Too Drunk to F*ck” seriam ovacionados durante anos por seus fãs.

Confiram abaixo os vídeos da música “Too Drunk to F*ck” em versão lounge por Nouvelle Vague e em versão original por Dead Kennedy, além de versões ao vivo interpretadas pelas duas bandas:

“Too Drunk to F*ck” versão lounge – Nouvelle Vague

“Too Drunk to F*ck” versão ao vivo – Nouvelle Vague

“Too Drunk to F*ck” versão original – Dead Kennedys

“Too Drunk to F*ck” versão ao vivo na Finlândia 1981 – Dead Kennedys

RESULTADO PROMOÇÃO KIT DO STROKES

Chegou a hora do resultado da promoção valendo um Kit do Strokes contendo 1 vinil Angles Importado 180 gramas + 1 camiseta do Strokes + 1 camiseta do Tenho Mais Discos que Amigos.

O sortudo que vai levar pra casa esse kit é o @ShutUpLeo. Entre em contato conosco através do email contato@monophono.com.br.

O sorteio foi realizado através do site sortei.me e o resultado pode ser conferido através deste link http://sorteie.me/1Qvy1o .

Para quem não ganhou, não desanime. Quarta feira uma nova promoção entra no ar pra comemorarmos o dia mundial do rock em grande estilo. Fiquem ligados!