O QUE ESTÁ ROLANDO NO MEU IPOD: ELLA FITZGERALD

Hoje a coluna O QUE ESTÁ ROLANDO NO MEU IPOD, lembrando o último dia 15/06 quando fez 16 anos da morte desta grande diva, deixamos nossa homenagem àquela que é fonte de inspiração de 10 entre 10 grandes cantoras dos últimos 30 anos, a grade diva ELLA FITZGERALD.

Considerada a melhor cantora de jazz de todos os tempos, Lady Ella possuía uma extensão vocal que abrangia três oitavas e ficou conhecida pela pureza de sua voz. Com dicção e entonação impecáveis ficou famosa por sua incrível habilidade em “scats”, técnica de canto que consiste em cantar vocalizando palavras sem sentido e sílabas de forma improvisada, semelhante a um instrumento de sopro.

Nascida em 25 de abril de 1917, durante sua infância ELLA FITZGERALD queria ser dançarina, no entanto sempre gostou de ouvir gravações de jazz de Louis Armstrong, Bing Crosby e The Boswell Sisters, sendo grande fã da cantora Connee Boswell.

Sua estreia como cantora foi com 17 anos em 1934 no Teatro Apollo no Harllem, logo conquistando um público fiel e ganhando o principal premio oferecido pelo teatro aos cantores amadores.

Em 1935 passou a cantar regularmente com a orquestra de Chick Webb no Savoy Ballroom também no Harllem, gravando diversos sucessos com a banda, inclusive algumas  composições próprias.

Em 1930 com a morte de Chick Webb a banda passou a se chamar “Ella Fitzgerald and her Famous Orchestra” fazendo 150 gravações com essa banda até o ano de 1942, época em que deixou a banda em busca de sua carreira solo.

Contratada pela gravadora Decca, obteve diversos sucessos gravando com artistas como Ink Spots, Louis Jordan e os Delta Rhythm Boys.

Em 1945 Ella começa a introduzir os “scats” em suas gravações que mais tarde a tornaria mundialmente conhecida, gravando a canção “Flying Home”, sendo mais tarde reconhecida pelo jornal New York Times que afirmou que, embora muitos cantores como Louis Armstrong tenham tentado a técnica de improvisação, ninguém conseguiu aplicar-la com tanta maestria como ELLA FITZGERALD.

Seu período de maior destaque e sucesso foi entre 1959 e 1954, período em que lançou um conjunto de 8 songbooks de diversos álbuns lançados pela gravadora Verve Records. Com músicas que variavam do padrão normal do clássico jazz, atingindo um publico além dos tradicionais fãs jazzísticos.

De 1950 à 2001 foram mais de 80 álbuns gravados por ELLA FITZGERALD.

Além da música, em sua carreira Ella também participou de alguns filmes, sendo o mais marcante a interpretação da cantora de jazz Maggie Jackson no filme “Pete Kelly’s Blues” rodado em 1955.

Muito tímida, ELLA FITZGERALD raramente saia de casa ou dava entrevistas, dedicando-se exclusivamente à sua música, o que fazia com extrema maestria.

Em 1993, já afetada por problemas de visão pela diabetes, a cantora teve as duas pernas amputadas, vindo a falecer em 1996 aos 79 anos de idade.

O material de arquivo da sua longa carreira está armazenado no Centro de Arquivos do Museu Nacional de História Americana, do Smithsonian, enquanto seus arranjos musicais pessoais estão guardados na Biblioteca do Congresso.

Única, e não existindo até hoje nenhuma cantora que se assemelhe a ela, ELLA FITIZGERALD continuará por anos e anos a influenciar novos talentos e com suas canções, verdaeiras obras primas, emocionando e embalando belas histórias.

Semana que vem tem mais.

Boas melodias!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: