ENTREVISTA COM A BANDA TEST

O Test é o resultado da união de duas potências do underground brasileiro, o Are You God? e DER. Tanto o guitarrista/vocalista João Kombi quanto o baterista Barata contribuíram bastante para com aquela que tornou-se uma das principais cenas grindcore no mundo, a brasileira dos anos 2000; e, agora em parceria, desenvolvem um trabalho possuidor tanto da liberdade e da veia experimental que caracterizava o AYG? quanto a agressividade e a técnica rítmica do DER – mas desde o inicio já trilhando um caminho próprio, que o torna independente de comparações com uma ou outra. E, como eles ao mesmo tempo lançaram o EP “Carne Humana” e se jogaram para fazer uma mini-tour européia, chamamos o vocalista João para trocar uma idéia rapidinha com a gente. Confiram abaixo:

 1-Monophono:   Com o Are You God? infelizmente não rolou uma tour pela Europa… Essa agora com o Test traz uma sensação de “dever cumprido”?

João: Acho que ainda não, não dá para pensar em dever cumprido… Enquanto existir vontade de fazer as coisas, vamos fazer.

2-Monophono: Quanto tempo vocês ficaram na estrada? Foram quantos shows, e em quais países?  Tocaram somente em squats?

João: A tour começou dia sete de setembro em Goiânia. Foram cinco shows na região de Brasília e  onze na Europa; passamos por Alemanha, Holanda, França, República Tcheca e Áustria. No total ficamos uns vinte e poucos dias fora. E não rolou apenas nos squats – teve som na casa de algumas pessoas e outros em pequenas casas de shows; mas a maior parte foi feita em squats sim.

3-Monophono: Essa turnê já havia sido marcada com antecedência ou vocês resolveram encarar na raça a estrada?

João: Foi na raça para os padrões de lá de fora. Começamos a marcar tudo com menos de dois meses de antecedência – inclusive teve show que foi marcado dois dias antes!

4-Monophono:  Vocês são do tipo de banda que “segura a onda” em uma tour como essa? O que o tempo de estrada ajuda a clarear nessas ocasiões, a indicar o que fazer e o que não fazer, tanto no palco quanto fora dele?

João: Não tem como segurar a onda passando por tantos lugares e conhecendo pessoas diferentes todos os dias, pois dá vontade de aproveitar tudo. Não consigo encarar como “tour de uma banda profissional”, afinal o tempo todo você pensa na sua vida real.

5-Monophono: Qual a sensação de agora ser responsável quase tudo de uma banda ao vivo?

João: Acompanhar  um baterista extraordinário que, tocando sozinho, já seria interessante de ver… Bem, não é tão difícil.

6-Monophono: E como é cantar em português para uma platéia gringa? Saber que canta em uma língua para um povo que não a entende enquanto você não entende a deles?

João: No fim das contas, quer saber? Acho que não faz diferença nenhuma.

7-Monophono: O EP “Carne Humana” saiu em vinil, é isso? É prensagem nacional ou estrangeira?

João: Saiu sim, a Travolta Discos foi quem lançou. Aproveitamos a viagem para prensar na Alemanha e trazer os discos na mão.

  1. 6 de abril de 2012

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: